Transpiração e odor

Transpiração e odor

A transpiração é um processo natural do organismo. Reage a estímulos fisiológicos, como controlar a temperatura corporal ou emocionais como fazer face a situações de tensão. 

Seja num ambiente com temperaturas elevadas, após uma sessão de exercício físico ou em momentos de maior tensão emocional, transpiramos. Entre outros fatores desencadeantes para o excesso de transpiração podem estar algumas doenças oncológicas e metabólicas.

O suor é uma substância composta por água, cloreto de sódio e potássio, cuja ativação é realizada através de dois tipos de glândulas sudoríparas (écrinas e apócrinas) espalhadas pelo corpo – com maior concentração nas palmas das mãos, axilas, plantas dos pés, testa e couro cabeludo. Diariamente e em condições basais o organismo produz, em média, cerca de 0,5 L de suor.

As glândulas apócrinas eliminam igualmente restos das membranas celulares que, com a degradação bacteriana, causam um odor típico e desagradável.

Antitranspirantes vs. desodorizantes

Desodorizantes

Os desodorizantes ajudam a ultrapassar os efeitos associados à transpiração, nomeadamente a produção excessiva ou o odor.

Antitranspirantes

Os antitranspirantes evitam a transpiração. Estes produtos foram dermatologicamente testados e, por isso, não apresentam risco para a saúde. Ainda assim, os sais de alumínio, que estão presentes na esmagadora maioria destas soluções, podem tornar a axila muito seca e irritada, razão pela qual algumas contêm moléculas calmantes, para atenuar o seu efeito.

Suor | factos

O suor é ativado por dois tipos de glândulas sudoríparas espalhadas pelo corpo – com maior concentração nas palmas das mãos, axilas, plantas dos pés, testa e couro cabeludo:

  • Glândulas sudoríparas apócrinas | eliminam restos das membranas celulares que, com a degradação bacteriana, causam um odor típico e desagradável.

  • Glândulas sudoríparas écrinas | perante uma exigência relacionada com o exercício físico ou face à exposição a temperaturas elevadas – a chamada transpiração térmica –, só as glândulas écrinas são ativadas.

Transpiração excessiva

 

Estima-se que cerca de 150 mil portugueses sofrem de hiperidrose, uma doença em que se verifica um aumento excessivo de sudação nas palmas das mãos, pés e axilas1.

1 CUF | Hiperidrose: a solução definitiva | https://www.cuf.pt/mais-saude/hiperidrose-solucao-definitiva

A transpiração excessiva é comum e pode acontecer com qualquer pessoa em qualquer momento. Quem sofre de suor excessivo muitas vezes adota comportamentos evitativos, como apertar as mãos ou levantar os braços.

Existem também aqueles que não sofrem diariamente, mas muitas vezes se encontram em situações tensas onde o suor pode tornar-se um problema embaraçoso. Mau odor? Manchas de suor? Estas pessoas muitas vezes se preocupam com a possibilidade de outros descobrirem o seu problema.

A transpiração excessiva pode variar de humidade moderada a grave, resultando em grandes manchas de suor nas roupas, pés húmidos e malcheirosos ou mãos húmidas e molhadas. É um problema comum que pode afetar qualquer pessoa em qualquer momento da vida, no entanto alterações hormonais como a puberdade e a menopausa são muitas vezes a causa da sudorese excessiva.

Leia o Testemunho de Gabriel